A DIVERSIDADE NA EDUCAÇÃO INCLUSIVA E A SEXUALIDADE DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA VISUAL

Nilvia Gomes, Nágila Paiva, Shirlena Campos de Souza Amaral, Bianca Castro

Resumo


O presente trabalho, através de revisão bibliográfica, visa articular temas que, a primeira vista, parecem ser totalmente opostos. Por tal motivo, inicialmente busca-se entender historicamente como se deu a percepção acerca das pessoas com deficiência e após, restringindo para uma compreensão do que constitui a deficiência visual em um mundo onde a compreensão ocorre visualmente, uma vez que, a visão é um dos sentidos que nos ajuda a compreender o mundo à nossa volta, ao mesmo tempo em que dá significado para os objetos, conceitos e ideias. É através da visão que ocorre a que ocorre a denominada “comunicação visual”, por meio de imagens e elementos visuais relacionados. Quando o indivíduo não tem ou perde essa capacidade de se comunicar visualmente, é comum que muitas pessoas pensem que ele será incapaz de realizar tarefas cotidianas e, até mesmo, de se relacionar afetivamente e sexualmente. Sendo assim, as pessoas com deficiência visual são a todo tempo subestimados, como se a ausência da visão os tornassem totalmente incapazes de ter uma vida minimamente normal. Por tal motivo, o presente trabalho busca ressaltar que não são as deficiências que precisam ser destacadas, já que muitas vezes, a pessoa com deficiência não consegue ser percebida por aquilo que é, acaba sendo reduzida à sua deficiência, como se fosse incapaz de desenvolver outras habilidades. Ao falarmos da sexualidade da pessoa com deficiência temos um grande desafio, já que a sociedade tem a educação sexual como um tabu. No entanto, veremos que, em todos os contextos, a educação deve se fazer presente como forma de garantia de inclusão social. 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

ISSN: 1679-9844 
  

 This work is licensed under a Creative Commons License Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.