A CRIMINALIZAÇÃO DOS MOVIMENTOS SOCIAIS PELA MÍDIA BRASILEIRA: ANÁLISE SEMIÓTICA DO CASO DO MOVIMENTO SEM TERRA (MST)

Vladimir Gama, Rosália Maria Netto Prados, Luci Mendes de Melo Bonini

Resumo


Neste artigo, à luz da Semiótica greimasiana, apresenta-se como se configura, na mídia, um processo de criminalização das ações do Movimento dos Sem Terra (MST). São objetivos deste trabalho analisar as relações interdiscursivas e percursos dos sujeitos dos discursos, que perpassam as práticas sociais, manifestados no jornalismo. Esta análise semiótica do discurso possibilita uma reflexão sobre as contradições presentes no discurso subjacente aos textos jornalísticos no que se refere ao MST. A metodologia semiótica greimasiana possibilita uma análise das estratégias de enunciação no discurso jornalístico. São revelados os sistemas de valores desse universo de discurso, por meio de uma análise semiótica discursiva. Para esta análise, realizou-se uma busca no mecanismo de busca da internet Google, no período de 01 de junho a 31 de dezembro de 2014 e selecionaram-se 3 manchetes de jornais de grande circulação, relacionadas ao MST e à Escola Nacional Florestan Fernandes (ENFF) que oferece formação política para seus integrantes e de outros movimentos sociais. Os resultados apontaram que o movimento é sempre visto como perturbador da ordem pública e que não há referencia na grande mídia sobre seus processos de educação para emancipação política.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

ISSN: 1679-9844 
  

 This work is licensed under a Creative Commons License Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.