RESERVAS EXTRATIVISTAS NA AMAZÔNIA: CONFLITOS E INTERESSES NO PROCESSO DE “CONSTRUÇÃO” DA RESEX MAPUÁ, MARAJÓ, PARÁ

Vanessa Silva do Amaral, Jondison Cardoso Rodrigues

Resumo


A Amazônia é a região do Brasil que mais possui Unidades de Conservação (UC), particularmente Reservas Extrativistas (RESEX). Uma delas é a RESEX Mapuá, no Marajó (estado do Pará), e fonte empírica dessa pesquisa. Considerando essa questão, o objetivo deste artigo é: descrever e analisar os conflitos e os interesses no processo de “construção”/criação da RESEX Mapuá, em 2005. Para tal empreitada foram realizadas: 1) pesquisas de campo (em 2015 e 2016); 2) coletados relatos orais dos moradores locais; 3) entrevistas com membros do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais; 4) entrevistas semiestruturadas com líderes comunitários; 5) entrevista com analista do ICMBIO (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade); e, 6) análise do Decreto de 20 de maio de 2005 que criou a RESEX. Para isso utilizou-se o estudo de caso associado com a teoria de campo de Pierre Bourdieu, como forma de apreender um fenômeno social de forma mais complexa e visualizar com maior destreza o jogo que está sendo jogado (e os interesses). Esse tipo de estudo funciona como um dispositivo teórico-metodológico para identificar e analisar os tipos de regras (dos agentes), os jogos e os conflitos sociais e seus respectivos impactos.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

ISSN: 1679-9844 
  

 This work is licensed under a Creative Commons License Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.