A PATEMIZAÇÃO DOS DISCURSOS COMUNITÁRIOS COM RELAÇÃO À AÇÃO EMPRESARIAL: CASOS VALE X ASSENTAMENTO FRANCISCO ROMÃO E SUZANO X RESEX CIRIÁCO

Raifran Abidimar de Castro Correio, Leandra Almeida Figueiredo Correio, Erilene Silva Oliveira Castro Correio

Resumo


A região do oeste maranhense tem recebido grandes investimentos públicos e privados entre eles tem destaque à Duplicação da Estrada de Ferro Carajás - DEFC e a construção e operação da Suzano papel e celulose, empreendimentos que tem influencias nas comunidades rurais, sejam elas de assentamentos ou Reservas Extrativistas. Tem-se como tema central o processo de patemização utilizado pelos comunitários para expressar suas avaliações sobre a ação das empresas em suas comunidades, através dos discursos; esta se justifica pela necessidade de se entender como têm sido propalados os discursos sobre a ação de grandes empresas junto às comunidades rurais.  Com isso o objetivo geral desta pesquisa é entender os principais processos de patemização dos discursos dos moradores em comunidades rurais na Amazônia Maranhense, representados pelos assentados do Francisco Romão e das quebradeiras de coco da RESEX Ciriáco, com relação a atuação das empresas Vale e Suzano nos seus respectivos territórios. Para alcançar este objetivo utilizou-se da teoria semiolinguística de Charadeau e das análises sobre as emoções de Aristóteles, complementando com as analises de patemização de Fiorin e Maturana, considerando ainda o discurso polifônico de Bakhtin e Ducrot. Desta forma, busca-se demonstrar nesta pesquisa o uso que os comunitários fazem dos processos de patemização discursiva para expressarem suas emoções em relação à atuação das empresas, e dos órgãos públicos em seus territórios.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

ISSN: 1679-9844 
  

 This work is licensed under a Creative Commons License Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.