NEUROCISTICERCOSE RACEMOSA E SUA APRESENTAÇÃO CLÍNICO-RADIOLÓGICA

Bianca de Moraes Coimbra, Cilmário Leite da Silva Júnior, Thaís Trindade Cardoso, Diogo dos Santos Gomes, Vinícius Neves Marcos

Resumo


A neurocisticercose (NCC) é a infecção helmíntica mais comum do sistema nervoso central (SNC), causada pela forma larval da tênia do porco “Taenia solium”. A NCC é uma das causas mais comuns de convulsões adquiridas em regiões endêmicas, sendo a maioria composta por países em desenvolvimento como o Brasil. A neurocisticercose racemosa é caracterizada pela presença de membranas císticas excepcionalmente grandes e sem escólex, sendo considerada uma modalidade maligna de neurocisticercose se associada à hidrocefalia secundária e à meningite cística, apresentando alta taxa de mortalidade. O diagnóstico dessa patologia é tipicamente baseado em neuroimagem, avaliação sérica e laboratorial do líquor (LCR), além de dados clínicos e epidemiológicos. O seu tratamento deve ser individualizado, sendo usadas drogas antiparasitárias, cirurgias e drogas sintomáticas. O presente artigo tem o objetivo de relatar um caso de neurocisticercose com apresentação rara que acomete o espaço subaracnóide, sendo conhecida como racemosa. Trata-se de um paciente do gênero masculino, 58 anos, relatando que há sete meses vem apresentando dores de cabeça, com frequência incial de duas vezes por semana se tornando diária após um mês do início dos sintomas. A ressonância magnética (RM) caracterizou múltiplas formações císticas de dimensões variadas, localizadas no interior dos espaços liquóricos das cisternas da base, nos polos temporais e nas fissuras sylvianas, bem como sinais de hipertensão intracraniana. As avaliações liquóricas do paciente evidenciavam aumento da pressão de abertura, elevação da celularidade, hiperproteinorraquia e a pesquisa do cryptococcus neoformans foi positiva. Na avaliação sérica, destaca-se a positividade para a cisticerose (IgG). Sendo assim, a hipótese de neurocisticercose racemosa foi confirmada. Observa-se assim a importância do diagnóstico precoce da neurocisticercose racemosa através de exames laboratoriais associados a métodos de imagem, possibilitando a intervenção rápida e agressiva, visto que seu curso clínico é rapidamente progressivo e frequentemente associada a um prognóstico ruim.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

ISSN: 1679-9844 
  

 This work is licensed under a Creative Commons License Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.